Hoje é um dia comemorativo para a comunidade surda! 

No dia 24 de abril de 2002 a Libras – Língua Brasileira de Sinais foi reconhecida como meio legal de comunicação e expressão. A Libras deixou de ser apenas uma linguagem e foi aceita como língua! A língua dos surdos, visual-espacial e possui estrutura gramatical própria como qualquer língua oral. Capaz de expressar ideias complexas e abstratas, poesia, música, humor. A cada dia sinais novos surgem na comunidade surda, diferenças regionais, sociais e históricas.

Desde muito tempo o surdo vem tentando ultrapassar obstáculos e um deles é o ouvintismo. O ouvintismo ocorre desde a antiguidade e com isso a história do surdo carrega muito sofrimento. Na antiguidade, pelos escritos bíblicos da Lei Hebraica podemos inferir que os surdos já eram maltratados. “— Não amaldiçoe o surdo, nem ponha tropeço diante do cego, mas tema o seu Deus. Eu sou o Senhor.” (Levítico 19:14)

Na Roma e na Grécia os surdos eram considerados incapazes e eram condenados a morte ou abandonados; na Idade Média os surdos continuavam sendo maltratados e tinham seus direitos suprimidos; na Idade Moderna apareceram as primeiras metodologias que envolviam a língua de sinais porque as famílias nobres buscavam estratégias de ensino para seus filhos surdos, pois se preocupavam com o destino da herança da família.

Com o trabalho do abade L’Epée a língua de sinais começou a ter mais visibilidade, ele foi o primeiro a reconhecer que os surdos tinham uma língua e que não precisavam aprender o idioma oral para aprender uma linguagem. Ele também foi o primeiro a criar o primeiro instituto de surdos do mundo. A partir de então, outros também começaram a desenvolver o ensino da língua de sinais em outros lugares do mundo.

Entretanto, em 1880, na Idade Contemporânea, foi decidido no Congresso de Milão que a fala era superior aos sinais e por isso deveria ser a preferência para instrução. Esta decisão mostrou grande intervenção ouvintista sobre a educação de surdos por um longo período e quase levou a língua de sinais à extinção.

O oralismo fez com que o aprendizado dos surdos regredisse e com isso foi perdendo a força. Veio a época da comunicação total que utilizava diversos recursos para o ensino e comunicação com os surdos: a língua de sinais; linguagem oral; códigos manuais, entre outros. Até que a visão do bilinguismo prevaleceu como melhor metodologia de ensino para os surdos.

Os surdos se uniram e em 24 de abril de 2002 foi um dia de vitória, de orgulho, de comemoração! Até hoje há uma luta muito grande contra muitos obstáculos. Os surdos têm se posicionado e têm se colocado em cargos importantes para defenderem sua comunidade, sua língua, seus direitos. 

Esta lei 10.436 de 2002 também dispõe que as instituições e empresas de serviços públicos tem o dever de proporcionar um atendimento adequado aos surdos. Além de apoiar e difundir a Língua Brasileira de Sinais.

Sobre a comunidade surda entende-se: surdos, deficientes auditivos, famílias, amigos, intérpretes, associações de surdos.

Parabéns a toda a comunidade surda! Feliz 20 anos da Lei de Libras!